Meirelles sobre Previdência: quanto mais atrasar, mais difícil fica lá na frente


O melhor momento para a aprovação da reforma da Previdência é “agora”, afirmou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. “Achamos que o melhor momento para [votar] a reforma é agora”, disse o ministro a jornalistas na noite desta segunda-feira, 11, após participar de premiação no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. O ministro explicou que a tendência é a aprovação da proposta ficar mais complicada com o passar do tempo. “Quanto mais atrasar, mais difícil fica lá na frente.”

Meirelles reconheceu que, caso o governo não consiga angariar os 308 votos necessários à aprovação da proposta de emenda constitucional que reformula as regras previdenciárias em 2017, ela poderá acontecer no futuro. “Se a reforma não for feita agora, será feita em algum momento”, reforçou, apontando que a pauta “não é uma escolha, e sim uma necessidade”.

Em comentário sobre o Placar da Previdência elaborado pelo Grupo Estado, que apontava 64 parlamentares a favor da proposta – muito abaixo do número anunciado por membros do governo -, o ministro ponderou que nem todos os deputados “necessariamente antecipam o voto”.

Por Caio Rinaldi, André Ítalo Rocha, Marcelo Osakabe, Letícia Fucuchima

AE